30 de julho de 2013


Ideias criativas para uma horta em casa!


A celebração dos alimentos orgânicos e da alimentação saudável não é passageira. Ainda bem! Por outro lado, os apartamentos cada vez mais compactos estão exigindo criatividade de quem quer cultivar seus temperos e hortaliças sem agrotóxicos. 

O blog Minha Casa Minha Cara  postou recentemente ideias muito legais para construir hortas verticais em apartamentos. E para finalizar, compartilhou um vídeo bem legal, que ensina a forma correta de plantio. Reproduzo aqui a vocês as ideias:  

Jardim e horta vertical

Quem mora em apartamento ou em casa sem quintal, pode sim garantir um mini jardim ou horta em casa. Basta usar a criatividade para montar sua própria plantação vertical, com a ajuda de muito amor, dedicação e de um conhecimento mínimo sobre o cuidado com as plantinhas. Quer aprender a fazer a sua? Então vamos lá!
cc-0574-132-hortas-apartamento-01
A horta ou o jardim vertical precisam basicamente das mesmas coisas para se desenvolverem na sua casa: nutrientes, regas e banhos de sol. Antes de comprar sementes ou mudas, faça uma pesquisa detalhada sobre as necessidades de cada planta. Uma planta que precisa de muitas horas de sol não vai se desenvolver bem em uma varanda que fica grande parte do tempo na sombra. Existem plantas e hortaliças específicas para cada tipo de espaço, então tome este cuidado para não se decepcionar mais tarde.
cc-0574-132-hortas-apartamento-04
Se você quiser montar uma horta, fique à vontade para escolher suas ervas e temperos favoritos. No caso da escolha pelas hortaliças, opte pelas espécies com raízes mais curtas, como o alface, o alecrim e o manjericão. Lembre-se: você vai plantá-las em vasos, então o tamanho para elas é limitado – diferente de uma horta feita diretamente na terra.
TEMPEROS NA VERTICAL - FLORICULTURA HARTMANN SAO JOSE DO HORTENCIO
Prepare o vaso ou a jardineira para receber a flor ou o tempero fazendo uma primeira camada de aproximadamente um dedo de altura com argila expandida. Ela será a responsável pela drenagem da planta. Coloque a terra preparada com material orgânico ou húmus de minhoca até metade do vaso, para em seguida plantar as mudas. Feito isso, é só cobrir o vaso com terra até que as raízes estejam completamente escondidas e completar o vaso com palha ou grama seca. Estes materiais jogados por cima, além de ajudarem a reter a umidade da terra, viram futuramente mais matéria orgânica para as plantas.
h
Na hora de fixar sua plantação vertical, escolha alguma parede da varanda ou da área de serviço que receba, no mínimo, a incidência do sol 4 horas por dia. Pra fazer as regas, não tem receita: no inverno e em tempo úmido, elas precisam de pouca água; já no verão, as regas têm que ser diárias. Use a água com moderação pra não afogar as bichinhas. (;
cris-komesu-horta-vertical-11
Na Meu Móvel de Madeira você encontra umas opções bem lindas para ter seu próprio jardim ou horta vertical em casa. Veja só:
jardins
1) Jardim Vertical Tulipa 2) Jardim Vertical Florescer 3) Jardim Vertical Capri 4) Jardim Vertical Girassol
E, por fim, o vídeo da Casa e Jardim, com um ótimo tutorial para quem quer iniciar sua horta em casa:

25 de julho de 2013


Cara de quem comeu e não gostou


Parece que os fotógrafos April Maciborka e David Wile realmente querem mostrar desde cedo às crianças que a vida não é tão doce assim. Em um trabalho em parceria, os dois realizaram o ensaio fotográfico abaixo, registrando as reações das crianças ao experimentar limão pela primeira vez. Uma espontaneidade encantadora, própria das crianças. As imagens falam por si:

Do site hypeness.com.br. Todas as imagens de April Maciborka

22 de julho de 2013


Sempre é tempo de flor


 Ainda falta um tempo para a temporada das flores, mas não é por isso que a gente deve esquecer delas. Para mim, é sempre tempo de flor e de trazê-las para dentro de casa. 


O melhor disso tudo é que é muito fácil e barato criar arranjos de efeito. As flores podem ser as mais simples. Basta criar uma composição harmoniosa. Uma dica interessante (e que venho falando muito por aqui) é transformar algum objeto inusitado em suporte para as flores. Os tais vidros de conserva são ótimos, assim como as garrafinhas de água de coco. O destaque vai para as lâmpadas queimadas. Penduradas no jardim ou com uma base para ficarem de pé, tanto faz. 

As lâmpadas incandescentes se prestam para muitas outras funções criativas! Um detalhe importante: abrir uma lâmpada e retirar o filamento não é das tarefas mais simples e seguras. Já testei e tem que ter todo o cuidado possível. Compartilharei aqui um tutorial e quem quiser ajudar o meio ambiente pode testar!


19 de julho de 2013


O meu ABC da mesa



Tu conhece essas regras? Não???? Que ótimo! Se já conhece, que bom também! É sempre importante conhecer as regras para transgredi-las depois, não é? 

Mesa assim é bonita, mas ultrapassada. Acho que o tempo desse formalismo já foi. O bom, o aconchegante e lindo - de verdade - é assim, ó:

Um final de semana muito inspirado a todos nós!

17 de julho de 2013


O mundo encantador de Catalina Estrada



"Eu amo as cores e formas e, se eu tiver uma escolha, eu quero torná-los bonitos" 



Assim escreve a ilustradora colombiana Catalina Estrada. Apaixonada pelas texturas, formas e composições, Catalina cria estampas que fazem uma releitura do folclore latino-americano.  São formas que transmitem alegria, simplicidade e emoção. As criações são muito inspiradas na fauna e flora, mas criam um universo singular. 

Radicada em Barcelona (só podia ser!), Catalina desenvolve trabalhos para importantes marcas, instituições, como a Unicef, e até para entidades governamentais, como na Índia. Eu, que nem gosto de cor e estampa (sic), me apaixonei!!


15 de julho de 2013


Tu faz o que tu ama?


Desde ontem venho pensando em dar um tempo nos postos mais reflexivos e trazer algum projeto DIY para iniciar a semana com transformação, cor e manualidades. Iniciei a segunda-feira pensando assim e desse jeito permaneceu. Até cair num famoso filme, criado pela empresa que admiro muito, a Box 1824. Assim como a CO.R, da qual já falei aqui, a Box é uma empresa de pesquisa, tendências e inovação. Um oceano de referências e inspirações.

Em 2010, eles criaram o primeiro filme, we all want to be young, para mostrar um pouco sobre a evolução das gerações, iniciando lá nos Baby Boomers e finalizando na atual, os Millennials. O vídeo foi um sucesso.

Dois anos mais tarde eles criam este "raio" deste filme que vos apresento. Um raio mesmo, pois bota o dedo na ferida, de quem é dessa geração, e de quem não é também! Além da produção impecável, acho que vale à pena assistir por levantar uma série de questionamentos sobre o mundo do trabalho de hoje e o modo de vida que escolhemos. 

O público-alvo são os jovens que estão iniciando sua carreira profissional. Só que hoje, nos ambientes de trabalho, coexistem diferentes gerações, e esse filme ajuda a entender um pouco do que está acontecendo por aí, a pensar. E não podia ter me aparecido num dia mais apropriado... Tinha que compartilhar! O projeto DIY fica para a próxima.

11 de julho de 2013


Um mesmo objeto, olhares distintos.


Vocês já devem ter visto ou ouvido por aí aquelas campanhas publicitárias pela real beleza. Não tenho certeza, mas creio que tenha surgido lá pelo início dos anos 2000 essa onda de propagandas que buscam valorizar as mulheres como elas são, fugindo de estereótipos e tal. 

Ou seja, a ideia não é nova. E as ideias não precisam ser originais o tempo todo, por favor! Vamos abandonar o pensamento arcaico de que ser inovador/ criativo significa ter, a todo momento, ideias jamais imaginadas. A ideia já pode existir, e não há problema nisso. Acredito que a inovação deve estar especialmente na expressão dessa ideia, na forma de colocá-la em prática, na sua materialização. 

É aí que me vêm à mente duas campanhas publicitárias recentes que tratam desse assunto que já estamos até cansados de ouvir, a beleza das mulheres "comuns". Mas o que me chamou a atenção foi que ambas apresentam formas criativas de dizer isso, com muita delicadeza e sensibilidade. Formas novas de dizer uma mesma ideia. É o olhar para um objeto idêntico, mas de um novo ângulo totalmente diferente. 

O primeiro filme traz um experiente desenhista de retratos falados e mulheres recrutadas na rua. Nenhuma delas é atriz e elas não sabiam o objetivo final daquela ação. Essas mulheres deveriam descrever sua aparência ao desenhista, obviamente sem que eles se vissem. Logo em seguida, pessoas que conheceram rapidamente essas mulheres as descreviam ao desenhista. E o resultado é surpreendente: a diferença de como essas mulheres se enxergam e como os outros as veem. Uma observação: apesar de ser em inglês, a campanha foi criada pela equipa brasileira da agência Ogilvy.

O segundo vídeo mostra uma ação entre a empresa anunciante e uma rede de cinemas. As pessoas que adquiriram ingressos pela internet podiam gravar um depoimento elogiando a pessoa com quem assistiriam ao filme. E antes que o filme iniciasse... a surpresa. Lindo, lindo. 

Assistindo a esses dois filmes, recupero a minha crença na propaganda brasileira e no potencial criativo do nosso mercado. Às vezes, penso que a fonte esgotou e me decepciono. Mas, não, não está tudo tão perdido assim. 


10 de julho de 2013


E mais guarda-chuvas invadiram a cidade


Faz pouco tempo que falei aqui sobre pensar fora da caixa e a ressignificar objetos, lembram? Citei a instalação de guarda-chuvas, em pleno sol do verão europeu, na cidade portuguesa de Águeda. 

Pois os guarda-chuvas e suas cores vibrantes conquistaram a população da cidade e de gente de todo o mundo. E se tornaram a marca do festival cultural que anualmente toma conta da cidade, o AgitÁgueda. Realizado desde 2006 pela prefeitura, o festival tem como proposta "criar um ponto de encontro para as noites de Verão, junto ao rio, e proporciona momentos de convívio, cultura e lazer num espaço de qualidade"¹. A programação inclui espetáculos que primam pela originalidade e diversão, valorizando talentos e indústrias locais. 

A iniciativa busca também revitalizar o centro histórico da cidade, "criando movimento e capacidade de atração, oferecendo qualidade e espaços de convívio que devolvam a Cidade e o rio à população. Procura-se também promover hábitos saudáveis através da fruição com qualidade dos espaços públicos"². Devolver o rio e a cidade à população??? Qualquer semelhança com Porto Alegre é realmente mera coincidência!!!! Uma pena...

Nesse ano, os guarda-chuvas se multiplicaram e invadiram outros espaços além da rua central. Muita cor, arte e cultura estão transformando a cidade!
¹-²: Informações do site www.cm-agueda.pt. As imagens são da página do festival no Facebook.