9 de setembro de 2013


Para pensar: os 10 mandamentos da vida moderna


Vocês já ouviram falar da School of Life ("escola da vida")? Esse é um projeto do filósofo suíço Alain de Botton. Há bastante tempo, li uma das obras mais conhecidas de Alain, A Arte de Viajar, que, por sinal, é muito boa. Só de uns tempos pra cá, no entanto, é que percebi o quanto ele está em voga. Ateu convicto, De Botton acredita que é preciso popularizar a filosofia, conectando suas reflexões à vida cotidiana das pessoas. 

Alain entende que as religiões já foram o grande alicerce dos indivíduos diante das dificuldades, da morte, da finitude. No entanto, ele crê que essas crenças já não conseguem mais preencher os vazios e desfazer os medos que cada vez mais nos angustiam e nos sufocam. Pensando assim, criou a School of Life, uma escola que oferece "boas ideias para a vida no dia-a-dia". Com palestras e workshops na áreas de literatura, filosofia, artes visuais e psicologia, a escola pretende trazer à tona discussões e dilemas da vida moderna e também um alento aos que a frequentam. Seria, portanto, uma novíssima opção nesse mundo caótico àqueles que já não creem mais na religião e na fé. 

O projeto pode soar arrogante e pretensioso (eles usam o termo "sermões" para a série de palestras, por exemplo), mas tem pontos muito positivos que acho que fazem valer à pena. Ainda conheço pouco da School of Life (ela foi fundada em 2008 em Londres e chegou em abril deste ano no Brasil), mas já percebi que pode ser fonte de novos (e positivos) pensamentos dentro da confusão em que vivemos. Não creio que a organização consiga substituir uma religião, mas promete nos fazer refletir e questionar mais, retomando alguns valores que estamos perdendo: gratidão, perdão, gentileza... 

Dentro das propostas da escola, uma das que mais aprecio é o Manifesto das 10 virtudes da Era Moderna. Diante do caos e da ausência de um guia que conduza a nossa vida, Alain de Botton propõe os valores que são fundamentais ao indivíduo de hoje. Independente de qualquer crença, o manifesto fala do ser humano e, por isso, é tão verdadeiro. Atentem, principalmente, ao significado que Alain destina a cada valor: um significado não necessariamente referente ao dicionário, mas à vida como ela é. 

10 virtudes da Era Moderna
por Alain de Botton

  1. Resiliência. Seguir adiante mesmo quando as coisas estão feias.
  2. Empatia. A capacidade de conectar sua imaginação com o sofrimento e as experiências únicas de outra pessoa.
  3. Paciência. Nós devemos ser mais calmos e mais tolerantes sobre como as coisas são.
  4. Sacrifício. Nós não seremos capazes de criar uma família, amar alguém ou salvar o planeta se não praticarmos a arte do sacrifício.
  5. Gentileza. Gentileza está ligada à tolerância, à capacidade de viver com pessoas com as quais jamais concordaremos, mas ao mesmo tempo, não podemos evitar.
  6. Humor. Como o ódio, o humor brota do desapontamento, mas é o desapontamento canalizado de outra maneira.
  7. Autoconhecimento. Conhecer a si mesmo e tentar não culpar os outros pelo seus problemas; ter bom senso para diferenciar entre o que acontece com você e o que pertence ao mundo.
  8. Perdão. É reconhecer que viver com outras pessoas é impossível sem desculpar erros.
  9. Esperança. O pessimismo não é necessariamente profundo, nem o otimismo raso.
  10. Confiança. Confiança não é arrogância, é baseada na certeza do quão curta é a vida e, em ultima análise, quão pouco nós perdemos ao arriscar tudo.